No trânsito, de novo…

Detesto ter de admitir, mas eu quase bati na traseira de um carro anteontem. Que ódeo de mim por tanta falta de atenção! Alguns segundos, olhando pelo retrovisor externo, uma moto com dois indivíduos de capacete, que vinha buzinando pela direita, foram suficientes para eu não perceber que a fila de carros à minha frente havia parado, pois o sinal fechara.

Segundo o Departamento de trânsito, basta meio segundo de distração para acontecer um acidente. É como dirigir às cegas. E todo motorista sabe disso.  Uma freada brusca, um cheiro de freio queimado, eu sem cinto de segurança, a  Princesinha no banco de trás no colo da mãe,  e uma amiga  cujo cinto de segurança não impediu que batesse com o braço na porta do carro. Foi só um susto, nada de mais. Minha filha lia um livrinho de história para Clarisse e as duas nem perceberam o que acontecera.

O motorista da frente nem se abalou. Continuou dentro de seu veículo. Saí do carro e vi que não havia batido e desculpei-me com ele, justificando que me distraíra pois estava preocupada com os motoqueiros, já que o porteiro da escola de minha filha, de onde eu vinha,  me dissera que estavam rondando a área e que a polícia já havia passado por lá avisando para tomarmos cuidado.

O mais ridículo da situação foi eu repetir a justificativa para um bando grupo de borracheiros  da oficina em  frente, que assistiam à cena, às gargalhadas. Imagino as asneiras que pensavam, do tipo “mulher no volante…”  Óódeo duplo!! Preconceito machista, pois as pesquisas do Departamento Nacional de Trânsito comprovam que  apenas 11% dos acidentes de trânsito envolvem mulheres ao volante.  E que em 1,5 milhão de acidentes com vítimas, 71% eram motoristas homens.

” Não tem que ficar dando justificativa pra esses caras, mãe. ” – A observação de minha filha me fez voltar à realidade e sentir mais ódio ainda de minha estupidez dupla: distrair-me no trânsito e, pior, justificar-me para aquela corja de maníacos, digo, para aquele grupo de senhores sujos de graxa e sorridentes. Óóódeo triplo!!!

Homens, desculpem-me, mas odeio vocês quando estou dirigindo. Nada pessoal. É mais forte que eu entendem?

Imagem: daqui

Gostou do Blog?

O que é RSS?

Assine o Feed RSS ou receba nossos textos por email. É grátis!
Digite seu email:

9 comentários para “No trânsito, de novo…”

  1. Marcia H

    todo cuidado é pouco.

    ontem um cara atravessou na minha frente, apesar do sinal estar vermelho pra ele, eu tive que frear bruscamente e ele ainda me xingou 🙁

    mas ficou a pergunta: porque vc dirige sem cinto?

  2. leticia coelho

    Dê, as vezes acontece isso! Eu já não tenho habilidades para dirigir… Prefiro andar a pé 🙂
    Mas o motorista precisa estar atento ao que está fazendo e os outros… Complicado!
    Beijos menina

  3. denise rangel

    Marcia, é realmente um mau hábito. Só coloco cinto em avenidas; mas já vou corrigir isto. Prometo. Agora, o indivíduo erra e ainda te xinga! É por isto que odeio os homens ao volante, hehe.

    Leticia, eu pretendo andar mais a pé, mas ainda não dá para conciliar os horários entre as escolas (minhas e de minha filha e da Princesinha). É, eu sempre digo que a gente tem de dirigir por nós e pelos outros. Dei mole mesmo.
    beijo, menina
    beijo, meninas

  4. valter

    DE,
    fiquixperta, mulé!
    Beijo, menina

  5. Grace Olsson

    Denise, isso acontece mutias vezes e nao sao sinònimos de falta dea tenção.Olha, eu dirigi,t irei carteira mas desisiti. Nao nasci para isso.
    Graças a Deus que vivo num local emque os ônibus passam na hora certa…beijos e dias felizes

  6. deniserangel

    Grace, eu adoro dirigir e sou bem atenta. Foi mais uma preocupação com os motoqueiros do que uma distração. Por aqui os ônibus não são tão fiéis, hehe.
    beijo, menina

    Valter, Xácumigo, hehe.
    abraço, garoto

  7. Carlos Emerson Jr.

    Ô Denise! Eu vivo defendendo a tese de que as mulheres guiam muito melhor do que homens. Vê se não me tira os argumentos, por favor !!!!! Hehehehehehehe

    Ainda bem que tudo terminou bem!
    Um beijão.

  8. Luma

    O pior de tudo foi o deboche dos borracheiros que diga-se de passagem, nunca deixarão de ser borracheiros, para se promoverem a donos de borracharia. Não sabem identificar uma cliente em potencial! 😉 brincadeira, brincadeira…beijus

  9. denise rangel

    kkk, Luma
    Desse jeito vou prexcisar de lanterneiro, não de borracheiros, hehe.
    beijo, menina

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: