10ª Mostra de Cinema em Tiradentes

Minhas impressões da viagem (19/01/2007)

Chegamos cedo a Tiradentes e, após almoçar, fomos bater pernas pela cidade. Depois de zanzar pelas lojas, entrei na Cadeia da Vila de São José (foto abaixo) e fiquei impressionada quando desci ao porão. Nunca havia entrado lá. Como estava aberta, entramos. Segundo informações orais, antigamente lá havia um tronco para açoite. Senti um arrepio ali dentro! E vergonha dessa página de nossa História. É de arrepiar mesmo!

Zanzando, acabei na cadeia…

Construída no início do século XVIII. O prédio atual foi construído entre 1833 e 1845, pois foi incendiado o velho, por volta de 1825. Localizado à Rua Direita, em frente à Capela do Rosário (que estava fechada), possui quatro janelas com enormes grades de ferro e uma porta com ombreiras e vergas de pedra sabão na fachada. Horrível!

A abertura da Mostra

Aconteceu à noite, com as homenagens ao diretor da década , Beto Brant, cujo filme, O invasor, foi exibido logo depois da cerimônia. Também foram homenageados os atores e video maker da década, Matheus Nachtergaele, Lázaro Ramos e Fábio Carvalho. O cine-tenda estava lotado e eu fiquei de fora.

Quem agüentou ficar acordado (o pessoal mais jovem), assistiu ao show de Nanda Cavalcante. Eu fui dormir ( estava cansada de tanto andar, ou velha, quem sabe…)

Sábado animado

O cortejo da arte , com a participação da Banda Ramalho e outros artistas, percorreu as ruas da cidade em comemoração aos 289 anos da cidade de Tiradentes e 10 anos da Mostra.

À tarde e à noite, foram exibidos o filme “Cidade de Deus”, de Fernando Meirelles, no cine-tenda, e uma vasta programação de vídeos e longas, como “Querô”, de Carlos Cortêz, e “Noel, o poeta da Vila”, de Ricardo Van Steen. Este último, na praça, em um enorme telão.

A noite foi coroada com Ricardo Nazar, cantando Chico Buarque, que segundo as más línguas, não fez falta. Esse povo fala demais…

Domingo legal

O domingo seguiu a agenda de exibições de filmes, teatro de bonecos, encontros entre público , diretor e crítica, show de choro, na praça, com Gabriel Guedes, e uma vasta programação de exibição de curtas longas, entre elas, “Central do Brasil”, de Walter Salles, e vídeos de Fábio Carvalho. O site da Mostra traz todos os detalhes. Vale a pena ir lá conferir!

Maria Fumaça

A Maria Fumaça foi inaugurada em 1881, por Dom Pedro II. Dos 684 km originais da ferrovia da antiga Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM), restaram apenas 12 km, exatamente o percurso que liga Tiradentes a São João del Rei. O passeio, que dura aproximadamente 35 minutos, proporciona uma autêntica viagem ao passado, além de paisagens deslumbrantes da Serra São José e do Rio das Mortes. Demais!

Bem, os detalhes da viagem, conto nos posts da página principal, com as fotos pessoais.

Até lá!

Gostou do Blog?

O que é RSS?

Assine o Feed RSS ou receba nossos textos por email. É grátis!
Digite seu email:

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: