Violação de privacidade

Nossa presidenta Dilma Roussef, em seu discurso, hoje, na abertura da 68ª Assembleia Geral da ONU, criticou enfaticamente as atividades de uma rede global de espionagem eletrônica americana, que, segundo denúncias, interceptou informações de cidadãos, empresários, diplomatas e da própria presidência brasileira.

Sobre a alegação do presidente americano Obama, de que os EUA ” reúnem inteligência, para que possam apropriadamente equilibrar as legítimas preocupações de segurança de seus cidadãos e aliados, com as preocupações de privacidade comuns a todas as pessoas”, a presidenta retrucou que o argumento de que  “a interceptação ilegal de informações e dados destina-se a proteger as nações contra o terrorismo” não se sustenta.

A polêmica ainda vai se estender por muito tempo, pois, de acordo com o presidente Obama, “o mundo hoje está mais estável graças à ação americana na política internacional“. Mesmo que se comprometam a mudar as práticas de sua Agência Nacional de Segurança, duvido que os EUA parem de se intrometer na vida alheia, já que se consideram responsáveis pelo equilíbrio mundial.

Big brother em tempo real

Spy vs Spy

Lembrei-me da narrativa de Orweell, na obra 1984, que retrata a situação de monitoramento a que estavam sujeitos todos os cidadãos, sob o domínio de um Grande Irmão, o Big Brother. De todas as formas, estamos, como na ficção orwelliana, em um “big brother” real, sem o benefício do “canto cego” que nos proteja da invasão de privacidade.

Na realidade, não temos mesmo privacidade, já que participamos de vários eventos e em toda parte há câmeras que registram e monitoram nossas ações e reações. Hoje em dia, se alguém quiser fazer uma maldade com outrem, pode fazê-la livremente, dadas as facilidades de aparelhos que fotografam, gravam, filmam e, para desespero de alguns, editam e compartilham nossas informações.

Há tempo que são discutidos os temas Segurança e Ética Digital dos usuários que utilizam a internet. Um dos objetivos principais é trazer uma reflexão sobre como nossas ações atingem outros indivíduos na rede. Vivemos questionando a maneira como interagimos na rede e como disponibilizamos informações a nosso respeito e a respeito de terceiros. Com a espionagem internacional, quem nos protegerá da violação de nossos direitos na vida virtual? Corremos o risco de perder também o controle sobre nossas vidas e nossas vontades?

Imagem:  Tony Fischer

Gostou do Blog?

O que é RSS?

Assine o Feed RSS ou receba nossos textos por email. É grátis!
Digite seu email:

4 comentários para “Violação de privacidade”

  1. Allan

    Sei não, tenho a impressão de que o espernear da Dilma foi mais teatro que revolta. Sei não…

    1. Denise Rangel

      Allan, ela fez o que se esperava dela, nada menos. Nem fez cócegas no outro lado. Nós é que não temos pra onde nos esquivar do “Grande Irmão”.
      Abraço, garoto

  2. luma rosa

    Estou com o Allan, mas o espernear tinha segundas intenções… com esse ato ela conseguiu alguns pontos no ibope, afinal, ela ficou na mídia. Daqui pra frente, serão criadas muitas histórias de petistas para participarem da mídia. Viu lullinha criticando Joaquim Barbosa? Faz parte… Quanto a espionagem, sempre existiu, desde antes de Getúlio. Por outros meios, lógico!
    Que o Brasil crie meios de também espionar, se é que já não faz!
    Como cidadãos, todos os nossos dados estão expostos na rede!

  3. denise rangel

    Pois é, Luma, não vejo mesmo como mudar isto. Cada um que tome cuidado com o que compartilha. Ainda assim, não há segurança nem sigilo inviolável para ninguém.
    Beijo, menina

Leave a Reply

WordPress spam blocked by CleanTalk.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...