11 comentários para “Um sentido para viver”

  1. Vivina de Assis Viana

    Denise,
    gostaria de enviar um beijo solidário.
    Seu post faz pensar e crescer.
    Vivina.

    Vivina, querida

    Que bom que minhas reflexões servem pra alguma coisa. Recebemos tantas coisa boas na vida. E não receberemos também o “mal”. Se pudermos aprender com nossos erros e acertos, estaremos maduros pras dificuldades da vida. Mas, confesso que ainda estou bem “verdinha” ainda.
    é um prazer recebê-la em meu cantinho.
    beijo, menina

  2. Yvonne

    Denise, fiquei sem palavras, só consegui chorar. Beijocas

    Obrigada, querida, mas não chore, ainda estamos aqui.
    beijo,menina

  3. valter ferraz

    Denise querida, a força vem do seu interior. Não passei pela experiência dolorosa da perda (ainda), mas sei que isso ocorrerá um dia. Preparo-me para isso. Sofro por antecipação também. E essas angústias,as mesmas perguntas já fiz ao Crucificado. Ele respondeu-me com o silêncio. Entendí que devo esperar e que a resposta deve estar em mim mesmo.
    Beijo, menina

    Valter, eu não quero pensar em perdas, mas sei que são inevitáveis. Mas, Ele sempre responde. Nós é que não ouvimos a resposta ou não a compreendemos.
    abraço, garoto

  4. georgia aegerter

    Oi Denise, há algum tempo atrás visitei seu blog e agora te achei novamente no post da Yvonne.
    Eu também nao poderia avaliar a dor da perda de um filho, eu só posso avaliar a dor da espera por um filho. Esperei pelo meu Daniel 15 anos e depois mais 5 pela Viviane. Você nao pode imaginar a dor e o sofrimento da espera e entre estes 20 anos de espera seis abortos naturais. Como vc escreveu no finalzinho do seu post de hoje. Essa espera me aproximou mais de Deus e hoje vivo em risos mesmo tendo sido mae aos 38 anos e depois aos 43, idade esta quando a maioria têm filhos grandes, crescidos e se tornando avós. Ver meus netos, seria pedir outro milagre a qual nao me acho digna de pedir. Vivo a minha felicidade. Cada dia um pedacinho.

    Que o Deus Consolador, consele o seu coracao e que de alguma forma você encontre um caminho para seguir, ou para ajudar os filhos de outrem.

    Grande beijo em seu coracao
    Com carinho Georgia

    Obrigada, Georgia e seja bem-vinda, sempre! Deus nos dá no momento exato, nem antes, nem depois. Quanto aos netos, você os terá. Ainda está nova. Fui avó aos 48 anos. É uma bênção mesmo, um bálsamo pra nosso coração. Você vai ver. Obrigada pelo carinho.
    beijo,menina

  5. graziela

    denise querida, sempre sábia e compassiva, um abraço

    Grazi, é só compaixão de Deus que transmito ao outros. Não tenho nada de mim mesma, e este aprendizado é extremamente difícil. Não tenho mérito algum.
    Bom vê-la por aqui.
    beijo,menina

  6. elena

    Denise,
    quando eu tinha 13 anos assistí o sofrimento de minha mãe, quando meu irmao de 18 anos morreu de acidente de carro. Sofremos juntas, sentí na pele no coracao na alma aquela perda. Eu bem posso imaginar o que é perder um filho. To sempre pedindo a Deus e a meus anjos da guarda, que me levem primeiro antes de qualquer um deles. Pra mim, as coisas correriam muito bem se eu me fosse com 100 anos de idade, pois dai nao deixaria nenhuma falta e nao assistiria nenhuma ausencia. E já seria a hora de partir.
    Bjos querida e parabens pelo post .

    me

    Elena, minha linda, eu não gostaria que minha filha sofresse a minha perda. Prefiro eu sofrer no lugar dela. Mas, nem quero imaginar isso agora. Quanto a viver cem anos, misericórdia! Quero não! Hehehe!
    beijo,menina

  7. Mário

    Denise, não tenho muitas palavras, você disse tudo. Só posso desejar que Deus te auxilie sempre mais e que você continue nos brindando com textos que realmente fazem refletir sobre a vida.

    É, Mário, eu queria me calar, mas eles brotam, aos borbotões, gritam, pedem para sair… Obrigada pelo carinho.
    abraço, garoto

  8. aninha-pontes

    Denise meu bem, o que todos nós deveríamos sentir e avaliar com suas palavras, é a presença viva dele.
    Alguém que não tenha Deus no coração, não faz uso das palavras, em momentos tão doloridos, quanto tem sido os seus.
    Acompanhamos, mesmo virtualmente, seus piores momentos.
    Aqueles momentos em que temos vontade simplesmente de entregar tudo, e acabar mesmo com tudo.
    Mas aí, ela aparece, forte, falando alto, gritando até.
    É uma força interna, que se optarmos por excluir a presença de Deus, não encontramos explicações.
    Ele está presente, ele conforta, ele dá força, mas humanamente somos fracos, e dói tanto….
    Estou aqui, com minha fé, e disponível para o abraço de conforto e carinho.
    Fica bem.
    Beijos querida.
    Aninha, é mesmo uma graça ter amigos como você. É nos momentos mais difíceis que se revelam os verdadeiros amigos. E esta graça e conforto divino, só não recebe quem opta por excluí-lo da vida. Obrigada pelo carinho, minha linda.
    beijo, menina

  9. aninha-pontes

    Ih! esqueci, deixei carinho lá prá vc.
    beijos
    Vou lá ver…
    beijo, menina

  10. Márcia(clarinha)

    Minhas palavras não caberiam aqui então deixo meu carinho e respeito por pessoa como você, amiga guerreira!
    beijos
    Obrigada pelo carinho, amiga. Eu tenho a sorte de ter pessoas como você perto de mim.
    beijo, menina

  11. Lord Broken Pottery

    Denise,
    Quem sou eu pra falar sobre uma dor que não tenho? Nunca tive um filho, não sei o que seria perdê-lo, nem posso imaginar. Durante minha vida pude perceber a dor de mães que enterraram filhos. Uma tia quase enlouqueceu quando o filho mais velho e o marido morreram em um acidente de automóvel. Criou os dois que sobraram, hoje excelentes médicos. E minha avó, quando meu pai expirou, seguiu também um pouco junto com ele.
    Sei que existe uma força que faz com que essas mães continuem. Não há, é a única certeza que tenho, muitas opções. Ou se continua, ou se continua. É preciso aprender a continuar. Meu respeito e carinho por seu esforço.
    Beijo grande
    Ricardo, sempre tive este receio, de enlouquecer caso perdesse um filho, ao ver outras mães sofrendo esta dor. Então, o que eu mais pedi a Deus e continuo pedindo é isto: uma mente sã e um coração generoso para servir aos outros. A morte de meu filho não pode ter sido em vão. Precisa gerar coisas boas. Obrigada pelo carinho.
    abraço, garoto

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: