Pena de vida

 

 

A pena de morte tem sido uma opção apresentada em países em que a violência é assustadoramente crescente. No entanto, ao considerar os aspectos negativos da aplicação de tal pena no país, constata-se que não resolve o problema do aumento da criminalidade, e soa como uma espécie de limpeza social.

É mais do que óbvio que as pessoas de classe mais baixas já estão condenadas à pena de vida miserável e violenta. São elas os principais alvos da aplicação da sentença de pena de morte em países em que é utilizada. Erros judiciais, irreversíveis após a execução da sentença, atingem a maioria de pobres e negros. Dificilmente um criminoso que tenha condições de pagar bons advogados, fianças, ou utilizar os recursos legais ou não para se livrar da pena, acaba na cadeira elétrica.

Não posso descartar o direito à vida, tão sustentado pelos que professam alguma fé, e, num mundo tão conturbado, em que a justiça feita pelas próprias mãos em execuções sumárias e arbitrárias são tão freqüentes, a alma grita pela vida e pelo perdão. Os “criminosos” já são, desde o nascimento, condenados à vida miserável, estigmatizada, infernal. Morrer, para eles, não seria a libertação?

Imagem daqui

Gostou do Blog?

O que é RSS?

Assine o Feed RSS ou receba nossos textos por email. É grátis!
Digite seu email:

15 comentários para “Pena de vida”

  1. Eduardo.P.L

    Primeiro para agradecer a honra de estar linkado aqui, neste blog tão festejado e premiado. Por justas razões, diga -se de passagem.
    Quanto ao assunto do post, é um dilema terrivel. esses meninos ou morrem nas mãos da justiça, no caso da lei vir a ser aprovada, ou morrem no trafico ou na mão da policia. Como você bem diz, Denise, estão fadados a morrer. Meninos. A outra hipótese levará 100 anos, seria educa-los e dar-lhes emprego digno.Um dilema. Matar para não morrer, ou morrer sem matar!

    Eduardo, é só gentileza do pessoal. Esse blog não tem a pretensão de nada. Sou livre como um pássaro quando escrevo e deixo a intuição me guiar. O resultado, às vezes, é tempestade; outras, paixão. Por isso:Sturm und drang! Quanto aos meninos, é isso mesmo: a pena deles é viver!
    abraço, garoto

  2. aninha-pontes

    Ué cadê meu comentário daqui?
    Será que só falar em morte, as coisas somem?
    Vixe!

    Aninha, como eu disse ao Valter, já encontrei os comentários. Agora é só esperar o WP liberá-los.
    beijo, menina

  3. aninha-pontes

    Depois eu volto e falo tudo de novo tá?
    Fiz um comentário grande e sumiu, agora tenho que sair.
    Beijos

  4. sheilamigas

    eh o tipo de tema super discutivel!
    eu tenho o meu parecer que eh bastante cruel eu sei, mas sou totalmente a favor da pena de morte sim. mas isso seria papo para uma noites e noites inteiras…. mas cada um com suas ideias!
    mas valeu o assunto!
    beijos e obrigada pela forca
    tambem estou no blogspot.com

    Na verdade eu não pretendo discutir a pena de morte, mas ao estigma desses meninos cuja vida já é uma sentença. Uma via sem saída, muitas vezes, entende. Ah, e já conheço seu outro blog.
    beijo, menina

  5. Maria Elena

    Denise,
    Geralmente pobreza e miséria nao é sinonimo de violencia.
    Aqui nos States tem um médico preto cirurgiao famosissimo(ainda vou lembrar do nome dele). Pois bem, até os 5 ou 6 anos de idade ele tinha uma familia normal. Do dia pra noite, o pai abandonou a ele, um irmaozinho e sua mae, por outra mulher. A mãe teve que abandonar a casa onde morava, passou a morar em quartinhos miseraveis e pra sustentar a ela e os dois filhos, tinha 3 empregos que lhe deixava sem energia.
    Qual seria o destino dessas crianças??? Marginalidade nao é mesmo? Mas não, eles hj sao dois médicos famosissimos por essas bandas. Tudo tem a ver com o tipo de criação dada, esta é a minha opiniao. E no caso dessa familia, a mãe foi tudo.
    Bjos querida,
    me
    Elena, querida, infelizmente esses casos são exceções. A maioria desses meninos acabam na vida miserável e estigmatizada que a gente conhece. A morte pra eles começa no dia em que nascem.
    beijo, menina

  6. valter ferraz

    Denise, tinha feito um comentário grandão aqui e o WP não quiz graça comigo.
    Agora broxei. Outra hora falo tudo de novo.
    Sei que é assim mesmo, acontece com qualquer um.Mas sei lá. Não fiquei bem.
    Vou embora.
    Um beijo

    Valter, já encontrei os comentários de voces dois: já comuniquei ao WP que vocês não são SPAM!
    Logo, o WP vai liberar os comentários e eles deverão aparecer por aqui, ok.
    Vou ler a indicação que me deu, tá!
    abraço, garoto

  7. Lys

    A Aninha Pontes indicou e resolvi vir dar uma espiadinha.
    A pena de morte definitivamente nao eh a solucao para a violencia. Concordo com voce no ponto em que isso seria apenas uma forma de limpeza social. Gostei muito do texto e vou voltar.
    um abraco,
    Lys

    Lys, obrigada pela visita. Bem-vinda! Infelizmente a pena de morte já existe em nosso país, e só é aplicada nas camadas menos favorecida.
    beijo, menina

  8. fernandabalieiro

    As opiniões são bem questionáveis, as duas eu acho tem seus prós e contras. Mas muito mais do que declarar pena de morte a alguem, é preciso não deixar com que ela faça algo que mereça. Mais difícil ainda, né??
    Beijos Denise

    Sim, Nanda, erradicar a pobreza, a miséria, a violência, é realmente muito difícil. A gente se sente impotente.
    beijo, menina

  9. Cejunior

    Como o pessoal já comentou aqui, esses meninos vão morrer cedo, muito cedo… Na maior parte dos casos não dá nem tempo de tentar alguma coisa…
    Miséria, falta da família, descaso do estado, nossa, tem tantos motivos. Isso é uma pena de morte, claro. E compulsória, quase todos tem essa sentença em cima de sua cabeça. E eles tem consciência disso!
    Beijos Denise.

    Você disse uma coisa que vivencio freqüentemente: eles morrem antes que se possa fazer algo. Parece uma maldição, um estigma mesmo! Poucos conseguem livrar-se dessa sentença.
    abraço, garoto

  10. Riobaldo

    Que diabo pena é esta? Será que nao vao ver nunca que matar alguém significa só tirar a parte corporal, o espírito, a alma, e principalmente o diabo que causou tudo continuará dancando sobre nossa estupidez?

    é verdade, a causa do problema não morre…
    abraço, garoto

  11. Graziele...  :)

    Oi Denise, vim te visitar através da aninha… bonito texto, mesmo sendo um tema triste. Mas pena de morte pode intimidar mas não solucionar, cada dia que passa os crimes são mais cruéis e cada vez mais ridiculos e por motivos idiotas que me espantam a cada história que vemos… Esse mundo cada dia que passa tá pior, infelizmente.
    beijos e boa semana…
    Grazy… 🙂

    Não intimida não, Grazy, pois a vida deles já é tão medonha, que morrer pra eles nada mais significa, infelizmente. Eles precisam querer viver, de verdade, uma vida plena, digna, não essa que eles têm. Bem-vinda e volte sempre!
    beijo, menina

  12. Lord Broken Pottery

    Denise,
    Concordo com você. Não vejo, infelizmente, a Igreja ter o mesmo discurso que tem em relação ao aborto, quando se trata de pena de morte. Para o primeiro caso levantam a bandeira de que estaríamos tirando a vida de alguém, uma vida que Deus deu. E no segundo?
    De qualquer maneira já nascem condenados à pena de vida, como você bem disse.
    Beijão

    É exatamente este o tema do post, que a vida desses meninos já é uma pena.
    abraço, garoto

  13. Riobaldo

    cesura

  14. elena

    Amiga…eu nao vivo sem café nem a pau.
    O descafeinado me dar dor de cabeça. Tem que ser aquele fortao bem gostoso.
    I love coffee.
    bjos,
    me

  15. Riobaldo

    Ora Denise, se usei palavras duras no meu texto, fui honesto. E se vcs amam o mundo do Sturm und Drang, nao se escandalizariam com o que escrevi. Leiam Werther. Vale a pena. Ou Grande sertao:veredas, que é o maior exemplo da amizade combatente daquele universo.Vi hoje no algo que vai bem na direcao do ocorrido. Por favor leia.
    Grato,
    Paulo de Almeida, 46

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: