O dia em que ‘perdi’ minha filha no supermercado

A Ana Paula, do Colorida vida, contou a experiência por que passou, ao perder a filha no shopping, durante as compras. Ela se julga irresponsável e a pior mãe do mundo. E lança o desafio para os que pensam em execrá-la: “Quem nunca errou que jogue a primeira pedra.”

Pois bem, querida Ana, não se exaspere. Eu também ‘perdi’ minha filha, que aliás é sua xará, dentro do supermercado, quando ela era bem pequenina, com menos de dois anos. Talvez seja inexperiência de mãe de primeira viagem, ou auto-confiança demais, sei lá, mas o fato é que muita gente já passou por esta experiência. E a minha não foi diferente da sua.

Foram poucos minutos intermináveis até que uma funcionária do supermercado chamou-a pelo auto-falante e, pasmem, ela veio até a frente da loja! Quase tive outro filho ali mesmo, hehe. Agora a gente até ri, mas na hora, é uma angústia sem tamanho.

Tempos depois, apareceu uma moda de as mães prenderem seus filhos em correias, como cãezinhos, puxados pelo dono. Muita gente achou um absurdo, mas eu, intimamente, compreendia bem o que aquela correia significava. Um cordão umbilical artificial.

Nunca mais larguei a mão de meus filhos, e, mesmo depois de grandes, quando saíamos juntos, apertava as mãozinhas deles com força. E o hábito foi herdado por minha filha, a Ana Paula, que eu ‘perdi’ no mercado. Ela não larga a mão da Princesinha de jeito nenhum.

Hoje em dia, os mercados têm aqueles carrinhos coloridos que mantêm a criança presa ao carrinho de compras. O difícil é elas quererem ficar lá. Querem correr entre os corredores.

Então, minha querida Ana Paula, não se exaspere. “Quem nunca errou, que jogue a primeira pedra…”

Imagem: Fotopg

Gostou do Blog?

O que é RSS?

Assine o Feed RSS ou receba nossos textos por email. É grátis!
Digite seu email:

10 comentários para “O dia em que ‘perdi’ minha filha no supermercado”

  1. Grace Olsson

    Denise, eu já perdi meu filho(ele tinha 7 anos) na praia, em um belo dia de sol que tinha música, trio elétrico e tudo o mais. me chamaram pelo auto-falante. nem dei a m´-inima parq quem me criticou. Eu, hein!
    Qualquer umestá sujeito a isso.
    bjs e dias felizes

    1. denise rangel

      Foi eu o que eu disse à Ana. Muita gente já teve esta experiência, por mais cuidado que se tenha. Infelizmente, as pessoas são cruéis conosco, quando isto acontece. Só a angústia que passamos já é um castigo e tanto, não acha?
      beijo, menina

  2. Ana

    Obrigada pela força, Denise. Eu me sinto melhor agora, mas só quem passa pela situação sabe como nos sentimos impotentes e fracassados. Eu já critiquei quem usa essa “coleirinha” sabe, mas acho que se usam é porque tem motivo. Felizmente a minha não é das mais espoletas… imagino as crianças mais sapequinhas por aí e os pais, que devem tomar medidas mais fortes – como usar a tal coleirinha – pra conter a energia dos pequenos e evitar de passar sufocos como este. Bjs!!

    1. denise rangel

      Pois é, Ana, a gente sempre tem de compreender porque certos pais têm atitudes extremas como estas. Já vi crianças pequenas dispararem numa correria e os pais atrás deles desesperados. Não critico mesmo quem usa a coleirinha, hehe.
      beijo, menina

  3. valter ferraz

    DE, eu já “perdí” a Aninha uma vez.
    Dia desses eu te conto como foi.
    Beijo, menina

  4. Veridiana Serpa

    Minha mãe me perdeu no Shopping, ou melhor, eu me afastei, pisei na escada rolante e desci, quando me dei conta, duas moças perceberam, me levaram na sala onde anunciaram no alto falante que eu estava procurando a minha mãe… isso acontece nas melhores famílias…. 🙂

  5. Denise Rangel

    Valter, como é que você conseguiu perder a Aninha, homem? Conta isso aí, hehe.
    abraço, garoto

    Veri, todo mundo tem uma história semelhante a esta. É difícil realmente conter uma criança. Qualquer descuido pode ser fatal. Acho que as funcionárias dos shoppings e supermercados têm muitas histórias para contar.
    beijo, menina

  6. Márcia(clarinha)

    Eu já “perdi” um dos meus meninos na feirinha de artesanato em Cabo Frio, nossa!! gente que não acabava mais, uma muvuca e eu apavorada me sentindo a pior mãe do mundo, no final tudo foi resolvido e nos reencontramos, rsss

    lindo dia querida
    beijos

    Nossa, dá até medo. Parece que a coisa é mais normal do que deveria. Será que vamos ter de amarrar nossos netinhos naquela coleirinha, hehe.
    beijo, menina

  7. Sturm und drang! » Blog Archive » Há mães e mães

    […] as crianças cegam a gente. Quem já não perdeu o filho de vista alguma vez?  Até eu, como já contei aqui, perdi minha filha por alguns angustiantes momentos. O que me deixou indignada foi ver a […]

  8. marcela

    nossa já perdi minha mãe em um supermecado em cacoal eu esta vendo as roupinhas de bebê para minha irmã carolina e me perdi outra vez foi num restaurante na mesma cidade minha mãe foi pagar a conta com meu pai eu brincando no parquinho eu tinha 6 aninhos e achei que eles estivesse ido embora chorei aí minha mãe voutou e me acalmou!!!!! ainda bem hoje eu tenho 9 anos e lenbro do dissispero

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: