Nada a haver…

Nosso idioma, a língua portuguesa, não é muito fácil de ser assimilado em toda sua complexidade. Embora tenhamos, a nosso dispor, muitos meios de verificar os aspectos formais adequados à sua utilização, em situações que exijam maior cuidado na comunicação, nem sempre há um dicionário, ou gramáticas, ou manuais de redação, e, em último caso, um professor de Língua Portuguesa, para tirar aquela dúvida inesperada. E, então, escrevemos de forma inadequada ao que a *Dona Norma exige.

Quando aparece alguma palavra ou expressão “inadequada” (não gosto da palavra “erro”), seja em um blog, seja no Twitter, ou nas demais redes sociais, a situação não é para críticas, mas para troca de conhecimentos.  Penso que ,  na rede,  todos têm o direito de  “soltar o verbo” e se comunicar, sem  serem crucificados quando escorregam em alguma armadilha da Língua”. Talvez devêssemos ser menos críticos e mais solidários.

Tudo a ver ou nada a haver?

Duas expressões muito comuns na rede (e no dia a dia também) são: “ter a ver” e “ter a haver“, que são usadas de forma inadequada e, quase sempre, são confundidas. Isto ocorre porque haver e a ver são parônimos, ou seja, palavras que apresentam grafia semelhante, produzem o mesmo som, mas têm significados diferentes. Primeiro, observe o que cada uma delas significa:

  • Ter a ver => ter relação (com), dizer respeito (a).
  • Ter a haver => ter a receber.

A expressão ter a ver, normalmente é seguida pela preposição ‘com’. Já a expressão ter a haver (com a preposição ‘a‘ antes do verbo) tem sentido de ter algo como crédito. O verbo “haver” sugere que alguém precisa receber dinheiro de alguém ou recuperar algo que perdeu.

Compare:

1. A Princesinha tem tudo a ver com meu estado de espírito. (Meu atual estado de espírito tem relação com a presença da Princesinha em minha vida).

2. Este mês, não tenho nada a haver dos freelas que fiz. (Não tenho nada para receber de ninguém, buá!).

A *Dona Norma diz que se usássemos a expressão como ela recomenda, não haveria tanta confusão. O correto é usar “ter que ver“, pois, “ter a ver” é um galicismo, isto é, uma expressão que importamos do francês. Assim, em português correto, deveríamos dizer: “Isso não tem nada que ver com este assunto.”

O que eu tenho a ver com isto?

Quero lembrar que  meu objetivo, aqui no blog, é trocar ideias sobre como a Língua portuguesa pode nos deixar em dúvida quanto à escrita adequada de certos termos, sem intenção de doutrinar ninguém. Criticar os desvios da norma padrão não é o meu objetivo, de forma alguma. Se puder ajudar, então, ótimo.

Aprendeu as diferenças entre os termos? Basta prestar atenção ao significado de cada uma das formas para não confundi-las e escrever de modo que não tenha a ver com o que você deseja comunicar. Certo?

*Dona Norma ( Gramatical Brasileira) é como me refiro à norma culta, com meus alunos, hehe.

Imagem: daqui

Gostou do Blog?

O que é RSS?

Assine o Feed RSS ou receba nossos textos por email. É grátis!
Digite seu email:

3 comentários para “Nada a haver…”

  1. Allan

    Talvez não tenha nada a ver, mas gostaria muito de ter muito a haver. Só isso.

    😀

  2. Priscila

    Texto muuito bom, Denise, mas confesso que fico doeente quando vejo alguém escrevendo “nada haver” (oposto de “tudo a ver”).

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: