Devia ter amado mais…

IMG_0244

Bem, eu sempre digo à minha filha que não gosto de fazer planos com menos de 24 horas, pois nem sempre as coisas acontecem como nós queremos. Fiz um planejamento para esta semana que foi por água abaixo. Programei ir à Primavera dos livros, mas, durante toda semana estive com a agenda cheia de trabalho e compromissos de última hora. No final da semana que já está acabando, outro imprevisto e, resultado, não fui nem vou mais ao evento. Minha amiga pretende ir, e ficou de me dar a reportagem do evento.

Esta não foi uma boa semana emocionalmente falando. Tive alguns aborrecimentos de cunho pessoal e hoje estou qual eremita, em minha concha. Mas Deus é misericordioso e me deu a alegria de dormir junto com a Princesinha! Ela está meio febril, mas não pára de espoletar, hehe! Quando penso que não tenho mais nada a fazer nesta vida, a imagem dela me vem à mente e resisto à vontade de desistir e sigo em frente.

Sempre penso, e digo também, que não entendo os desígnios de Deus: deu-me uma Princesa e em seguida um Anjo. A dor e a alegria fundem-se e confundem-me. Vontade de nada fazer e desejo de abraçar o mundo com as pernas, tudo ao mesmo tempo. Olho o mundo à minha volta, e procuro a beleza nele. Nossos olhos interiores teimam em só ver violência, desgraça, desumanidade. Mas eu procuro a beleza. E a vejo no sorriso de Clarisse. Na esperança de que um dia a felicidade virá.

Árvores, livros e filhos

É conhecida a filosofia de que para sermos completos devemos plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho. Analisando mais profundamente esta questão, vejo que a árvore representa o amor à natureza e o compromisso de preservá-la a fim de que se perpetue. Da mesma forma, nossas experiências vividas se perpetuarão à medida que vamos escrevendo nossa trajetória nesta vida. E um filho seria a concretização de uma vida de amor que se perpetua infinitamente.

Mas, tomando ao pé da letra esta filosofia, tive dois filhos. Um, partiu cedo e não deixou fruto. Minha filha agraciou-me com a Princesinha. Em nossa casa, tínhamos três árvores: um flamboyant belíssimo, uma mangueira deliciosa e uma goiabeira de estimação. Hoje já não mais existem. Por força de expandir a casa, foram derrubadas. Que horror! Mas meu pai plantou uma árvore na calçada em frente ao portão e ela continua lá até hoje, maravilhosa. Eu, pessoalmente, não plantei minha árvore ainda. Minha dívida com a natureza continua.

Quanto a escrever um livro, acredito que, literalmente, jamais terei coragem de fazê-lo. Desde os treze anos que escrevo impulsivamente. Lembro-me de ter queimado cerca de oito cadernos bem grossos, com páginas e mais páginas de mim. Hoje em dia, limito-me a analisar, estudar e estimular outros a amarem as obras escritas pelos verdadeiros gênios da arte de escrever. Ao conhecer Machado, Drummond, Graciliano, Rosa, Clarice e tantos outros é que tive a medida exata de minha incapacidade nesta arte.

Este post mais parece uma salada mista de idéias e sentimentos. Vejo que muitas pessoas passam por aqui e nada dizem. Talvez eu é que não tenha nada a dizer. E elas apenas passam. Por outro lado, foi escrevendo no blog que conheci amigos que estão comigo há algum tempo. Amizades fortes que ultrapassam o monitor e chegam até onde estou.

Costumo dizer que meu vizinho não me conhece. Aliás este é um problema nos condomínios. As pessoas passam cabisbaixas pelos corredores. Mal se olham. E quando cumprimentadas, limitam-se a resmungar um quase inaudível “..dia.. ; …tarde… ; … noite…

Devia ter amado mais…

Bem, sinto-me como o eu lírico da letra daquela música linda dos Titãs:

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer…

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe alegria
E a dor que traz no coração…

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar…

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor…

Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier…

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar…(2x)

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr…
Ouça aqui.

 

imagem:  Larry

Gostou do Blog?

O que é RSS?

Assine o Feed RSS ou receba nossos textos por email. É grátis!
Digite seu email:

19 comentários para “Devia ter amado mais…”

  1. poutie

    Puxa, que texto lindo… somos duas, minha semana foi emocionalmente caótica e a música do Titãs veio a calhar, principalmente o último verso.

    Bem, estou te visitando pois também estou participando do amigo secreto da Denise. Legal conhecer um pouquinho mais de cada um dos participantes através de blogs. Um beijo e uma ótima semana para você!

  2. Edelize

    Ops – acabei não deixando o meu nome no comentário acima, pois estava logada no wordpress (blog no worpress está vazio, mas o do blogger está ativo). Beijos.

  3. Polly

    Passei aqui só pra conhecer teu blog que é liiindo!!!!!!!!!!!
    parabéns:) eu também estou participando do amigo oculto da denise:)
    bjs

  4. valter ferraz

    Denise, a confusão de sentimentos é própria de quem ama demais e pensa m ais ainda. Não complica, deixa a vida te levar. E depois, desistir prá quê?
    Olhe, cada vez que ouço essa música dos Titãs parece-me que Marcelo Fromer estava pressentindo sua morte, parece premonitória. Será?
    Quanto à árvores, livros e filhos, apenas convenções. O nosso livro a gente vai escrevendo dia a dia. E acho que eu derrubei mais árvores do que plantei. Só nessa semana, derrubei três. Uma delas virou compota.
    Beijo, menina

  5. Luma

    Denise, você é uma assassina de palavras! Onde já se viu queimar os manuscritos?! Amore, de tudo que recebemos na vida, alguma coisa nos é tirada, como que para ter um equilíbrio. Não há escolha sem renúncia e a morte é como uma justificativa para aquele tempo que existiu de vida. Você amou demais e ama tanto, tanto que se afoga em lágrimas. E quantas vezes teve que sufocá-la para levar alegria à outra pessoa, para que essa não ficasse triste junto com você?
    As árvores, os livros e os nossos descendentes, são raízes que plantamos na terra, são maneiras de perpetuarmos a nossa existência, senão nossa alma será fluído que se esvairá no espaço.
    Fica bem! Tem muita gente para você amar no mundo e que precisa desse amor! Beijus

  6. denise

    Poly e Edelyse, que bom recebê-las aqui! Tomara que esta amizade não se resuma ao amigo secreto. Já fui lá no blog de vocês e adorei! Voltem sempre!
    beijo,meninas
    ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
    valter, é verdade: sou exagerada: amo e penso demais. Não acredito em premonição, mas em uma reflexão necessária que todos devemos fazer. Andas comendo árvores? Vai germinar, hein!
    abraço, garoto
    ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
    Luma, ah, ah, “uma assassina de palavras!”. Já me senti assim. Arrependo-me demais por ter queimado meus “livros” .
    Você tem razão: vivo sufocando lágrimas. Obrigada por tão sábias palavras. Amo você.
    beijo,menina
    ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
    Adelino, aprendi com a vida. Tenho tantas alegrias quanto tristezas, ambas de igual intensidade. Obrigada pelo carinho. Realmente, fui insensata em queimar meus escritos.
    abraço, garoto

  7. denise

    Aninha, eu sei, eu sei… Vocês me dão forças. Obrigada pelo carinho.
    beijo, menina

  8. valter ferraz

    DEnise, vc vai comer da árvore também.
    Aqui a gente te conta.
    Beijo, menina

  9. Adelino

    DENISE, concordo com a LUMA. Eu acredito que exista uma lei na VIDA estabelecendo um equilíbrio. Resumindo: a cada alegria corresponderia uma tristeza, ambas de igual intensidade. Uma compensação, digamos assim.
    Adoro seus textos. Foi um crime queimar o que escreveu.
    Beijos

  10. aninha-pontes

    Menina querida, a vida está aí, teimando com você, te obrigando a viver a amar, porque é importante.
    São tantas péssoas que precisam da sua alegria, da sua vida, do seu amor.
    Viver é uma dádiva, e você a tem em plenitude.
    Beijos.
    Até

  11. Claudia Lyra

    Denise, é sempre fortalecedor ler seus textos. Você não escreveu o livro do adágio, mas nos edifica com sua fé e coragem, qualidades que são evidentes no seu blog. Beijos, querida!

  12. Yvonne

    Denise, ler certos posts seus é a certeza de que Deus colocou alguém muito especial na minha vida. Querida, você é gente demais. Eu não me canso de repetir isso. Beijocas

  13. Daniela

    Olá, vim conhecer seu blog porque também estou participando do amigo secreto. Beijinhos

  14. Lord Broken Pottery

    Denise, querida,
    Seu texto me fez pensar. Essa coisa da árvore, do livro e do filho, sempre me toca. É tudo simbólico. Mas embora não acredite que essas necessidades sejam literais, sempre me comovo quando enfileram esses diabinhos. Cordélia e eu não tivemos filhos, não foi possível. Sendo assim, por essa enorme falta, nunca vou poder me realizar. Mesmo que já tenho escrito e plantado, faltou o principal. Acho que a vida é assim. Uma espécie de cobertor curto. Não dá para cobrir todas as partes do corpo. Sempre vai ficar alguma coisa sofrendo, morrendo de frio. O jeito é aquecer o que dá para ser aquecido.
    Grande beijo

  15. denise


    Valter, será palmito?…
    abraço, garoto
    ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
    Claudia, obrigada, querida, mas é só gentileza sua.
    beijo,menina
    ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
    Yvonne, e você também. Admiro sua força.
    beijo, menina
    ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
    Daniela, que bom. Espero que volte mais vezes.
    beijo, menina
    ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
    Lord, Será? Talvez. Não sei. A vida é tão complexa. Até quem tem tudo nunca se sente realizado.fique bem.
    abraço, garoto

  16. Luma

    Vai passear, tô sabendo! Aproveita para espairecer, dê beijuzinhos em todos por mim! Boa viagem! Beijus

  17. Magui

    O importatne é você estravazar seus sentimentos de forma ampla para não virar mágoa ou te deixar amarga. A vida é dura e vc sobreviveu.

  18. Mariaelisa Guimaraes

    Muita, muita emoção, querida.
    E sabedoria também.
    Somo senhores do que sentimos, logo, podemos medir ou regular a intensidade, assim queiramos, ou achemos necessáio.
    Um beijo, cheio de amor.
    Meg

  19. Viver cada dia como o melhor de nossa vida | Sturm und Drang!

    […] Devia ter amado mais Ter chorado mais Ter visto o sol nascer Devia ter arriscado mais E até errado mais Ter feito o que eu queria fazer… […]

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: