11 comentários para “Cinquenta tons de prata”

  1. Lunna Guedes

    Eu faço parte do grupo que em cabelos grisalhos, tanto em homem quanto em mulheres. Nas muitas vezes em que fui ao cabeleireiro me perguntaram “pq vc não pinta?”… outros me lembraram de que cabelo branco releva a idade. bla bla bla.
    Não dou a minima, gosto de cabelos brancos. Acho lindo, sexy, e combina com a minha figura humana, atrevida e sagitariana. Não dou a mínima para o que dizem, não tenho tempo para ouvir argumentos contrários ao meu estilo.
    Adorei o post carissima
    bacio

    1. denise rangel

      Lunna, já havia observado seus fios prateados. Tudo a ver com seu estilo e personalidade. Espero entrar para este grupo em breve. Também não dou atenção às críticas. Já nem me cobram tanto na família.
      No meu caso, gosto dos coloridos; mas, por outro lado, quero me livrar da química. Estou pensando a respeito. Enquanto isso, os brancos estão crescendo…
      beijo, menina

  2. luma rosa

    Oi, Denise!
    Li o comentário da Lunna e penso que os cabelereiros são contra manter os fios brancos, pois assim eles perderão clientela.
    Essa relação com o poder é bem engraçada, já que as mulheres que conheço que possuem cabelos brancos, deixam por falta de tempo, muitas vezes porque estão em cargos que somente a visita de um cabelereiro nesse ambiente seria ideal, por não poderem se ausentar ou manterem a agenda. Mesmo assim, não combina! Daí o jeito é hidratar bem os cabelos e investir na manutenção do visual.
    No outro dia recebi a visita de uma amiga, que ela contou que ela mesma pinta os seus cabelos. Seu cabelo é longo e não estão manchados, pois esse é o risco de quem faz esse tipo de peripécia 😀
    O documentário que citou no texto é uma luz, assim como qualquer outra iniciativa que dê a mulher suporte para ir em frente para assumir seus fios brancos.
    Na Europa, as mulheres são mais resolvidas quanto a essa questão, mas aqui no Brasil, as mulheres são dominadas pelo universo masculino, que pela latinidade querem ver a mulher como retardadas – no sentido de um passo atrás do resto do mundo 😉 assim eles podem dominam pela imposião de uma vaidade, onde a mulher está sempre competindo com as outras para no final ele se gabar. Tem até um ditado que diz que é fácil identificar o homem que melhorou de vida, basta ver se ele trocou a mulher por uma mais nova. Acho que devemos dar um tapa nesses preconceitos!
    Assisti dois capítulos do seriado… Achei graça de uma parte em que questionam se um determinado rapaz visitou o Brasil…
    Beijus,

  3. denise rangel

    Luma, você disse o principal: “devemos dar um tapa nesses preconceitos!”
    É bem comum, fora do Brasil, as mulheres usarem seus cabelos naturalmente, tanto quanto à cor natural, quanto à textura, sejam lisos ou sejam cacheados. Conheço mulheres que desejam deixar os grisalhos, mas os maridos se posicionam contra. Vence o machismo e a concorrência, como você colocou, com as outras mulheres.
    beijo, menina

  4. Fran Lelis

    Que texto lindo!
    Desde os 15 anos eu convivo com uns fios brancos, e eu escuto tanta coisa chata (principalmente da família), que envelhece, que é desleixo, que eu preciso me cuidar, que não fica bem, o que os outros vão pensar… blá blá blá… ninguém pergunta se eu me sinto bem com eles, se me incomodam.
    Amo meu cabelo cacheado e os fios brancos que se entremeiam a eles. Gosto do movimento, da inconstância, das possibilidades. Tenho 27 anos e não pretendo pintar. Talvez, no máximo, pra pintar de verde ou algo assim mais peculiar. Tirando essa possibilidade, que se branqueiem todos que eu tô feliz =)

  5. denise rangel

    Fran, que postura madura! Gostei disso. Pintar os fios de verde ou algo mais peculiar é muita coragem e determinação. Às favas o padrão machista e socialmente dominante. E sejamos felizes de todas as cores, inclusive o branco!
    beijo, menina

  6. Tony

    minha 1ª dama está com 31 e tem praticamente uma franja em tons de cinza. Sou o unico que a encoraja a mantê-los… as demais pessoas querem uma imagem dela que seja à semelhança do que eles imaginam, e não do que ela é na essencia… e ela fica no meio do caminho, não se anima a pintar, mas também não quer a “perseguição vazia”. Não fico em cima dela sobre isso, só toco no assunto quando ela conversa comigo sobre, não estou no “time sociedade que retarda a mulher” :)… a mim não faz diferença, pois não amo pela cor dos cabelos, e certamente estarei amando mesmo que todos estejam completamente brancos… assim como tenho um solitário fio atrás da orelha direita e assim que surjam os demais, deixarei como serão.

    1. denise rangel

      Tony,
      Que bom manter a postura de solidariedade e respeito às escolhas dela. Minha cunhada quer assumir os brancos, mas meu irmão a desencoraja demais. É desanimador ver pessoas que desejam dominar o corpo e as escolhas alheias, em nome de uma ditadura social.
      Para os homens, os grisalhos são muito charmosos! Adoro!
      Meu abraço a sua amada!
      abraço, garoto

  7. Livremente grisalhos | Sturm und Drang!

    […] assumi meus cabelos brancos, imaginei que também seria alvo de julgamento […]

  8. Ostentar a cabeça branca não significa mais ser velha ou desleixada. É estilo, baby. | Sturm und Drang!

    […] parei de tingir os meus cabelos há uns dois anos, porque estava tão farta da rotina de retocar as raízes. Simplesmente decidi não fazê-lo mais. […]

  9. Autenticamente cinza | Sturm und Drang!

    […] após celebrar o meu 57º aniversário, parei de colorir meu cabelo. Cortei-o curto e, desde então, deixei  a minha cor natural brilho de prata […]

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: