Bush autoriza execução de soldado

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, autorizou na segunda-feira a execução da pena de morte contra o soldado Ronald Gray, condenado por estupro e homicídio. A corte marcial do quartel Fort Bragg, na Carolina do orte, condenou Gray por dois homicídios, uma tentativa de homicídio e dois estupros ocorridos em 1986 e 1987. A pena foi aprovada pela Justiça da Carolina do Norte, e Gray está no corredor da morte numa prisão militar do Kansas desde abril de 1988.(Reuters Brasil)
Vejam só. Eu não sou a favor da pena de morte. Acredito que prisão perpétua já seria um castigo merecido. Mas, com tanta violência neste mundo, a gente acaba não esboçando reação de revolta quando um criminoso é executado. Parece que a lei mosaica “olho por olho, dente por dente” é mais atual do que se imagina.
Os Estados Unidos ocupam o 5º lugar no ranking dos países que mais executam seus condenados. Em primeiro lugar está a China, seguida por Irã e Arábia Saudita. No Brasil nem precisa de lei: as execuções sumárias viraram rotina por aqui.

Deixando a hipocrisia de lado, admitamos: desejamos punir com a morte quem comete atrocidades? Embora a maioria de nós afirme que não teria coragem de matar outro ser humano, em momentos de grande comoção e revolta, principalmente se a vítima do criminoso for alguém que amamos, temos ímpetos de vingança e desejo de que o causador de tamanha dor pague com a vida tanta injustiça e sofrimento.

Eu mesma desejei muito que o assassino de meu filho morresse também. Não se escandalizem. Se seu filho sofresse a mesma violência, você provavelmente também se sentiria assim. É claro que eu já perdoei. Não que eu seja boazinha ou virtuosa, mas pedi muito a Deus que me desse a graça do perdão. E hoje estou em paz com meu espírito. Mas, confesso que, quando eu soube que o policial que o executou havia sido morto também, senti algo esquisito que não sabia descrever o que era. Minha filha me disse: “é porque ele também tem mãe…”

Quando presenciei a execução de Saddam, percebi que a vingança é algo deprimente. Matar o condenado nos torna tão assassinos quanto ele. E voltando à notícia, fico imaginando tudo o que deve ter acontecido a este condenado nestes 20 anos. A longa espera no corredor da morte deve ser castigo maior que a própria morte.

imagem: Free Fotolog

[tags]Bush, Ronald Gray, dor de mãe, execução, pena de morte, perdão[/tags]

Gostou do Blog?

O que é RSS?

Assine o Feed RSS ou receba nossos textos por email. É grátis!
Digite seu email:

3 comentários para “Bush autoriza execução de soldado”

  1. Luma

    O maior dos medos ainda é morrer e pensando pelo lado, não da pena, mas do medo da consequência da prática do crime, muitos crimes deixarão de ser cometidos. Por outro lado, penso que ninguém tem o direito de tirar a vida.
    Na faculdade debatemos muito sobre isso e não chegamos a lugar algum. Tema bastante complexo! Boa semana! Beijus

  2. denise rangel

    Luma,

    Pode até ser verdade que algumas pessoas tenham medo da morte. Mas, se analisarmos bem, veremos que a criminalidade não é contida em países em que a pena de morte é aplicada. Porque a inclinação para o mal não é detida por medidas externas. Precisa de uma mudança interior, com tratamento psicológico e espiritual. Assim eu acredito.
    beijo, menina

  3. O ano passado – Parte I | Sturm und Drang!

    […] a memória de um filho que já não está com a gente. Aprendi a conter a sede de vingança e perdoar.  E me vi impulsionada a começar de novo e tentar reviver do marasmo em que me […]

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: