6 comentários para “Bacalhau por um fio”

  1. Adelino

    DENISE, gostei do post, aliás, sempre gosto. Eu lhe desejo e aos seus familiares uma Páscoa muito alegre, divertida.
    Um abraço

    Obrigada, Adelino. Sempre gentil. Retribuo os votos pra ti e família.
    abraço, garoto

  2. valter ferraz

    Denise, se acabar o bacalhau a Aninha tem um treco!
    Boa Páscoa para você
    Um beijo grande

    Xi, aí a coisa pega… Mas ela é sensível, vai saber como se sair dessa. Boa páscoa pra vocês também!
    abraço, garoto

  3. Luma

    Essa tradição do bacalhau não foi criada pela igreja, álias nesse dia observa-se o jejum chamado “pascal”, onde os velhos e crianças são liberados para comidas leves. O povo que aproveita!
    Aquela bacalhoada de forno, com batatas, cebolas e tals fica ótima feita com outro peixe, substitua pra ver como fica. E sem o trabalho de desalgar. Meu cherne está no forno! 😉
    Feliz páscoa! Beijus

    Sim, claro, Luma, mas já que a tradição existe, a Igreja seria um instrumento poderoso pra divulgar esta realidade e estimular a mudança de hábito pra preservar a espécie, não acha?
    beijo, menina

  4. Yvonne

    Denise, apesar de não gostar de bacalhau, acho terrível que mais um animal esteja em perigo de extinção. Meu Deus do Céu!!! Uma Feliz Páscoa para você. Beijocas

    Pois é, e esta é uma época ideal pra se falar sobre isso. É cristão preservar a natureza?
    beijo, menina

  5. aninhapontes

    Denise,prá quem vai à igreja, sabe que há muito não se propaga ou incentiva o ato de comer bacalhau na sexta feira santa.
    Aliás o que havia na minha infância, era um incentivo ao jejum sim.
    Mas não só a abstinência de carne, e sim um jejum geral de pelo meio dia.
    Hoje já não vejo mais.
    Agora o bacalhau que com toda certeza, não sei, se estou certa, deve ter sido uma invenção de quem tinha com fartura, e a tradição foi rolando.
    Eu adoro bacalhau, é uma época em a gente consegue comprar, em vista da grande oferta, pelos costumes.
    Então, não vou deixar de comer.
    Um beijo

    Aninha, gosto de tua autenticidade. Mas, a Igreja Católica, na época da Idade Média, mantinha um rigoroso calendário onde os cristãos deveriam obedecer os dias de jejum, excluindo de sua dieta alimentar as carnes consideradas “quentes”. O bacalhau era uma comida “fria” e seu consumo era incentivado pelos comerciantes nos dias de jejum. Com isso, passou a ter forte identificação com a religiosidade e a cultura do povo. Você tem razão quando diz que os ricos é que têm acesso a alimentos mais caros. O pobre só vê bacalhau mais em conta nesta época. Não estou recriminando, mas que um dia vai acabar, é fato.
    beijo, menina

  6. Bacalhau na Páscoa, cristão? | Sturm und drang!

    […] Como interlocutora frequente de várias iniciativas pela causa ecológica em meu cotidiano, e abordando muitas vezes, aqui no blog, temas sobre educação ambiental, alimentos orgânicos e consumo consciente, penso que devo  novamente trazer à reflexão  o  hábito de consumir o bacalhau na Semana Santa. […]

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: