Imitando os gênios

escribamosaico6

Alguém indagou por que no blog de meu projeto Roda de Leitura não havia outros gêneros literários na produção dos alunos: “onde estão os poemas, os contos, e tal?”. E  comentou que eles copiavam os autores e não sabiam escrever.

Achei muita graça, pois, minha intenção, naquele projeto, é apenas o prazer de ler o texto e não a obrigação de escrever um texto. Nas aulas de Gramática os alunos já têm de aprender tantas regras, a fim de encarar os exames do Vestibular.

Embora eu tenha uma posição a respeito disso, não é sobre tal assunto que quero falar agora, mas sobre a liberdade de se ler um texto e pensar sobre ele. E eu acredito que é perfeitamente normal nos espelharmos nos gênios que nos inspiram a escrever.

Vejo a preocupação de muitos blogueiros com o plágio, aliás, preocupação natural, é lógico, pois os louros da criação devem ser dos criadores. No entanto, nossos maiores escritores serviram-se de “cópias” para se inspirarem e, hoje, temos magníficas obras, de autores queridos e consagrados.

Veja alguns depoimentos:

  • “… o ato de escrever é uma seqüela do ato de ler. É preciso captar com os olhos as imagens das letras, guardá-las no reservatório que temos em nossa mente e utilizá-las para compor depois nossas próprias palavras. Aprendi que, quando se começa, plagiar não faz mal nenhum. Copiei descaradamente muitos escritores, Monteiro Lobato, Viriato Correa e outros; não se incomodaram com isso e copiar me fez muito bem.” (Moacyr Scliar)
  • “Todo mundo começa imitando alguém. É na vida. É nas artes. Não há mal nenhum. A leitura de um livro empolgante desperta o imediato desejo: ‘Eu gostaria de escrever assim’. O primeiro romance que li inteiro foi ‘O Primo Basílio’, isso lá pelos 13 ou 14 anos. Ao terminá-lo, decidi que, se me tornasse escritor, escreveria um livro igualzinho.”   (Luis Antonio de Assis Brasil)

Portanto, quero que meus alunos se inspirem mesmo nos grandes autores, e que escrevam, se não tão bem quanto eles, pelo menos, bem parecido. Quanto aos que se inspiram em obras alheias sem os devidos créditos, isso, sim, é assunto para outro post. E deixo esta tarefa para os eles, os autores injustiçados.

Imagem:  cutemosaic crackelure 

Gostou do Blog?

O que é RSS?

Assine o Feed RSS ou receba nossos textos por email. É grátis!
Digite seu email:

11 comentários para “Imitando os gênios”

  1. Claudia Lyra

    Que lindo está seu template!

    Seu texto tem tudo a ver com meu pensamento. Afinal, quando a gente está na escola, aquela obrigação de entender tantas regras gramaticais acaba tirando um pouco do encanto de ler. Quanto se deixar inspirar por bons escritores, isso é básico, né não?

    Com certeza, mas ainda existe essa obrigação.
    beijo, menina

  2. aninhapontes

    Começamos a copiar, quando aprendemos a viver, todo o aprendizado do ser humano é baseado na imitação. Aprendemos andar, falar, sorrir, tudo imitando os adultos.
    Que bom, se tivéssemos só coisas boas para imitar. Talvez não sofrêssemos tanto.
    Um beijo.
    Vou lá.

    A gente sofre pelas escolhas que faz, Aninha.
    beijo, menina

  3. Alline

    Ficou lindo o template novo…super clean 🙂
    Olha, me deu água na boca a compota ali embaixo, hein?!
    beijinhos, depois volto com calma para ler os textos no roda de leitura. Passei só para deixar beijo e desejar bom feriado.

    beijinho pra ti também, minha linda!

  4. Allan

    O Assis Brasil tem razão: a imitação é o ponto de partida no mundo animal. O problema é quando esquecemos de pertencer a esse mundo e nos julgamos superiores. Nessa hora, decidimos que somos auto-didatas e que a influência alheia não interfere nas nossas vidas.

    É, a gente precisa de humildade, aí reside a genialidade.
    abraço, garoto

  5. Vivi Amorim

    Concordo com o que vc falou e o comentário da Anninha foi perfeito!
    A vida é isso também, aprender com os outros, nos inspirar no outro.
    beijos, sua amiga Vivi Amorim

    Claro, Vivi, principalmente o que é bom.
    beijo, menina

  6. lord broken pottery

    Denise,
    Seu texto está corretíssimo. Todos nós começamos imitando. Se você for ler o primeiro livro de Graciliano, Caetés, verá que tem muita influência do Eça. Ele próprio reconhecia. É na imitação, na influência muitas vezes desapercebida, que aprendemos, criamos nosso próprio estilo.
    Beijão

    Concordo, Lord, todo artista tem seus ídolos inspiradores.
    abraço, garoto

  7. acomentarista

    Os seus alunos têm sorte, vc é uma bela professora de português, parabéns!
    beijos

    Sei não…
    beijo, menina

  8. Luma

    Denise, vou te contar uma coisa: Tive uma professora de português que me passou cola. Ela não entendia porque eu não sabia perguntar nada para o verbo. Tô até hoje sem resposta.
    Eu era boa aluna e ela se divertia com as minhas redações. Escrevia tudo que vinha na cabeça e sem procurar nos livros se aquilo já havia sido dito ou não.
    A gente lê tanta coisa que faz uma salada dentro da cabeça. Acho errado a cópia. O plágio que diz é inspiração, não é?
    Não sei que autor deu uma entrevista e disse que, depois de publicado o texto, ele se torna de propriedade pública. Você escreve com intenção de melhorar o pensamento do outro e não para se vangloriar. O bom escritor é aquele que quer acima de tudo passar conhecimento e ensinar.
    A escrita um veículo que carrega a alma das palavras.
    Boa semana! Beijus

    Ah,ah, lembrei do quadrinho da Mafalda: “O lixo enfeia a cidade”, quem é o sujeito? e Mafalda responde: “O prefeito!”, ah, ah! Essa de perguntar para o verbo nem sempre dá certo, né.
    Claro que é inspiração, imitação, o que for. Escrever para os outros é de uma generosidade sem tamanho. Lindo isso.
    beijo, menina

  9. sheilamigas

    isso aqui ficou tao lindo!
    tem tempo que nao passo aqui!!!!
    aos poucos estou voltando …

    grande abraco

    tambem estou voltando aos poucos no
    http://www.sheilamigas2.blogspot.com

    Ah, bem-vinda, e não deixe de vir aqui, tá.
    beijo, menina

  10. Quem te inspira a escrever? | Sturm und drang!

    […] escritores como os gênios que nos inspiram; todavia, tendemos a copiá-los,  simplesmente porque todo o aprendizado do ser humano é baseado […]

  11. Quem te inspira a escrever?

    […] certa forma, sim. Não escritores como os gênios que nos inspiram; todavia, tendemos a copiá-los. Simplesmente porque todo o aprendizado do ser humano é baseado na […]

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
%d blogueiros gostam disto: